Facebook

sábado, 23 de setembro de 2017

Selton Mello é capa da Revista Top Magazine de setembro



O ator e diretor Selton Mello é um dos mais respeitados no meio artístico por conta de seu talento e tecnica como artista da dramaturgia. O ator é capa da Top Magazine de setembro.



quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Grandes Discos Brasileiros | 'A Noite Vai Chegar' - Lady Zu (1978)



O 60º disco que iremos destacar na série Grandes Discos Brasileiros é de uma cantora que atualmente poucas pessoas devem conhecer, mas na década de 70 dançaram muito com suas canções que eram no ritmo da Disco Music que era prioridade nas grandes discotecas brasileiras. Vamos falar de Zuleide Santos Silva, conhecida como Lady Zu ou a Donna Summer Brasileira.




A Disco Music era um dos estilos musicais mais populares nos Anos 70 no Brasil e no Mundo e muito disso partiu graças a mudanças de comportamento das pessoas e por influência de novos artistas que cantavam e tocavam estas músicas, mas acho que o filme Saturday Night Fever foi a ponta-de-lança de todo este sucesso que tinha uma trilha sonora 100% Disco Music, incluindo artistas como o Bee Gees.

Aqui no Brasil o sucesso não foi diferente e o que influenciou aqui além dos artistas internacionais foi a novela Dancin' Days que tinha uma trilha sonora e ambiente ligado a discoteca.

A cantora Lady Zu foi uma das maiores artistas da Disco Music dos Anos 70 e surgiu de forma notória, apenas com uma música "A Noite Vai Chegar", tornando-se um hit instantâneo nas rádios e nas pistas de dança de todo o país. O sucesso foi incluído na trilha sonora da novela Sem Lenço, Sem Documento, da Rede Globo, o que, por si só, era um feito e tanto para uma cantora nova.

Com o sucesso, Lady Zu foi convidada em 1978 pela gravadora Phonogram e registrou seu primeiro disco com o nome A Noite Vai Chegar, nome também do maior hit do disco.


Nota do Jornal quando Lady Zu surgiu em 1978.

No disco A Noite Vai Chegar, a cantora contou com uma grande produção que quwria lançar o mais rápido possível nas lojas. No disco temos 12 faixas com estilos que variavam da disco music ao funk, soul e romântico. Esse disco é considerado atualmente um dos expoentes da soul music brasileira, juntamente com trabalhos de nomes como Jorge Benjor e Tim Maia. No disco conta com composições de Peninha, Nelson Motta e Paulinho Camargo que compôs a maioria das músicas.

Capturando de forma brilhante a moda das discotecas da época, o LP foi muito mais além: os arranjos fundiram, de forma bem-sucedida, a fórmula sincopada da disco music com ritmos tipicamente nacionais, como o forró, o baião e, claro, samba. 

Além da faixa título, outras faixas fizeram sucesso absoluto na época como "Só Você (Por Você, Com Você)", que foi tema de novela, "Novidades" e a faixa "Com Sabor".



Faixas

Faixa Título Compositor(es)



1 Novidades Peninha
2 Amando Você  Paulinho Camargo
3 Esqueça-me  Totó Mugabe
4 Não Deu em Nada Totó Mugabe
5 Não Fique Preocupado Paulinho Camargo e Dalila Camargo
6 A Noite Vai Chegar Paulinho Camargo
7 Com Sabor Nelson Motta e Dom Charles
8 Dê-me mais Carinho  Totó Mugabe e Paulo Rock
9 Só Você (Por Você, Com Você) Cleide Dalto, Paul Greedus
10 Eu Queria Falar com Você Luis Vagner e A. Carlos Gomes
11 Lady é meu Nome  Arthur Giglio
12 Solução Paulinho Camargo



Ouça o Disco

O disco completo você pode ouvir no Spotify e recomendo que é um grande disco e que representa bem a década de 70. Abaixo o vídeo da faixa "A Noite Vai Chegar".




Rock in Rio 2017 | O que rolou de bom e de ruim no "Ciclo Pop" do Evento


Estava ansioso por esta edição do Rock in Rio 2017, mas já estava ciente de que a Line-Up desta edição seria uma das mais fracas, talvez a mais fraca, mas prefiro esperar o Ciclo Rock que acontecerá nos próximos quatro dias.

Tivemos nesta edição deste Rock in Rio uma Line-up de Palco Mundo mais Pop do que antes, isso porque muitas bandas e outros artistas do Rock não puderam participar do evento e a noite do Metal foi até cortada neste festival e por conta disso para facilitar a logística de público e bandas, os organizadores resolveram fazer três dias seguidos Pop e as quatro últimas noites Rock.

Muitas críticas eu li referente ao estilo musical que foi levado no Palco Mundo nestes três primeiros dias e muitas destas críticas baseadas em pouca informação do que de fato o Rock in Rio iria trazer nos próximos dias gerando revolta, porém concordo que a qualidade do que veio nesta edição foi mais fraca, pois a canção Pop é legal e tem grandes artistas, mas o cardápio não favoreceu tanto.

Outro reclamação que é muito clichê é dizer que em 1985 e 1991 só viam artistas Rock, mas isso é mentira e muitos reclamam sem ao menos ler a história do Rock in Rio e acabam contaminando outras pessoas com informações fracas e imprecisas, pois para se ter uma ideia em 12 de Janeiro de 1985 tivemos uma noite com MPB e Jazz com as presenças de Gilberto Gil, George Benson, Al Jarreau e Elba Ramalho que era o que é hoje a Ivete Sangalo.


Vamos analisar os shows das três primeiras noites do Rock in Rio e para isso vou ordená-los do melhor para o pior show, mas infelizmente foram poucos que realmente me agradou e deixou empolgado, alguns eu tive que rever apenas para ter certeza se de fato foi bom, médio e ruim.






JUSTIN TIMBERLAKE

Muitos criticam o cantor por ter canções fracas do Pop, mas eu considero os trabalhos do cantor muito bons e com qualidade, talvez a crítica é por ele sempre fazer parte de produção artistas Pop considerado fracos ou médios, mas quando ele faz um trabalho solo consegue fazer algo que me agrada e seu show no Rock in Rio eu gostei bastante porque Justin conseguiu levar a sério o que estava sendo feito neste festival e levantou muito o público que foi lá, inclusive foi mais aberto a eles. Cantou seus grandes sucessos e esteve a frente de uma banda muito afinada e com uma bela sinergia.



SKANK

É uma das maiores bandas brasileiras, sem dúvidas, mas sem dúvidas mesmo, mas acredito que o Rock in Rio já os convidaram demais para tocar, mas podem vir no próximo se quiserem chamar, (risos). A banda conseguiu levantar bem o público cantando grandes sucessos da sua carreira e o controle ou presença de palco que Samuel Rosa faz é incrível, sendo a melhor atração nacional do Palco Mundo.



PET SHOP BOYS

Uma das melhores duplas de música Pop de todos os tempos me fez esperar dias para vê-los e gostei dom que vi. O show foi um apanhado de seus grandes sucessos que era bem conveniente tocar no Rock in Rio. O que atrapalhou o show era a questão do público que estavam lá em maioria para ver Lady Gaga e teria sido perfeito uma noite com Duran Duran, Depeche Mode e Information Society.



FREJAT

Um dos nossos grandes músicos brasileiros esteve numa noite que poderia não ter sido sua, mas até que ele conseguiu animar o público, porém a conclusão é que faltou empolgação deles e creio que no seu lugar caberia bem o Jota Quest. Frejat cantou seus maiores sucessos com algumas parcerias como Cazuza.



MAROON 5

Apesar das duas noites de show o Maroon 5 fica com a quinta colocação. O grupo substituiu Lady Gaga e nos chamou a atenção interpretando "Garota de Ipanema". No segundo show achei que eles foram melhores, porém ambas as noites eles cantaram seus grandes sucessos, porém o show quase foi médio por conta de Adam Levine não ser aquela boa voz de ouvir como antigamente.







ALICIA KEYS

O show foi bom, mas ficou um gosto de que faltou algo para ficar melhor. Alicia interpretou seus maiores hits juntos ao seu piano, uma banda afinada e presenças de músicos brasileiros que foi um grande momento ao meu ver, mas fica a sensação de que este tipo de festival não combine com Alicia e sim um show mais intimista numa casa com menor público, mas ressalvo o talento e a voz dela.



IVETE SANGALO

Mesmo com a presença da espetacular mulher Gisele Bündchen o show de Ivete deixou um pouco a desejar. O grande erro foi colocar Ivete para abrir tal festival, mas com a proposta de um Ciclo Pop creio até que não caberia outro nome, mas o show de uma maneira geral levantou em alguns momentos até por ser o primeiro show, mas a conclusão é que vimos um mais do mesmo de uma artista que sempre vem.



SHAWN MENDES

O show quase beirou a ser um dos piores, mas quero dar um pouco de créditos ao jovem cantor que conseguiu convencer o público que estava lá e me chamou a atenção com a forma como lida com as técnicas. Shawn tocou seus sucessos atuais e mostrou habilidade nos violões, mas este show não deixará saudade.






FERGIE

Foi um dos shows mais criticados do Rock in Rio, mas eu gostei de alguns momentos como a presença de Sergio Mendez e sua esposa para cantar "Mas Que Nada". O show teve alguns problemas técnicos, principalmente nos microfones que falhavam e fiquei sem graça ela cantora que trouxe um show que não tem muito a ver com o Rock in Rio no sentido de ser um mega artista de mega hits, fazendo lembrar a presença de Nina Hagen em 1985 que não foi empolgante. Detalhe, eu gosto de Fergie e seu primeiro CD solo é até marcante para mim.



5 SECONDS OF SUMMER

Foi daquelas bandas que só acredito que veio ao Rock in Rio para encher linguiça e porque não conseguiram algo extraordinário, mas a banda tem fãs e conseguiu até agradar eles, mas como show ao nível Rock in Rio decepcionou.



WALK THE MOON

A banda parece que é a mesma coisa do 5 Seconds of Summer, mas esta achei ainda a pior. O grupo chegou a trazer fãs para acompanhá-los no festival, todavia foi mais um erro de Line-up para talvez encher linguiça e substituir algo melhor que teria vindo. 


segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Luciana Gimenez é a capa da Revista Corpo a Corpo de setembro


Na revista Corpo a Corpo deste mês, a apresentadora Luciana Gimenez revela como o pilates a ajudou a conquistar sua melhor forma, além de segredos de alimentação e beleza!


30º ao 21º Lugar | Os 100 Melhores Álbuns Internacionais do Século XXI



Chegamos a oitava parte dos 100 Melhores Álbuns Internacionais do Século XXI e estamos próximos de anunciar o Top 20 da lista que mostra os melhores trabalhos de grandes artistas da música internacional.

Nesta parte iremos destacar grandes álbuns interpretados por grandes cantoras e que sempre quando lançam algo são esperados pelos seus fãs, assim como as bandas que iremos destacar aqui também. Lembrando que boa parte destes discos podem não terem sido avaliados com nota máxima pela crítica, são álbuns que me marcou pessoalmente.


Veja também as demais partes da série clicando na tag "100 Álbuns Internacionais".



ANTERIOR (40º ao 31º)
















30 | The Heist
Macklemore & Ryan Lewis
2012

É o segundo álbum do rapper e compositor norte-americano Macklemore e do produtor Ryan Lewis que foi gravado de forma independente. O álbum logo conquistou o público e também a crítica por conta da qualidade de se fazer Rap e Hip Hop. A dupla conseguiu emplacar grandes hits em 2012 e conquistou indicações a prêmios.















29 | Breakaway
Kelly Clarkson
2004

É o segundo álbum de Kelly Clarkson e acredito ter sido o de maior sucesso tanto comercial como profissional da cantora por conta dos grandes singles que o álbum trouxe e por ter sido um grande momento de surgimento de Kelly após ter sido vitoriosa num Talent Show. É um dos mais marcantes para mim porque gostava muito da canção "Because of You"  e foi um dos álbuns mais caros que já comprei.















28 | Laundry Service
Shakira
2001

Este álbum considero importante na carreira de Shakira por ter sido um marco para sua nova virada na carreira. A cantora já tinha conseguido emplacar em países norte-americanos e europeus, mas interpretar canções em inglês era necessário para emplacar ainda mais e deu muito certo com um álbum com todas as canções ótimas para ouvir.















27 | FutureSex/LoveSounds
Justin Timberlake
2006

É o segundo álbum solo do cantor e com este trabalho Justin passou a ser visto com outros olhos no mercado fonográfico, principalmente da crítica e de um público mais exigente do R&B e Pop. Justin foi audacioso e contou com um time bom além dele mesmo para compor as canções e produzir todas as faixas e é considerado um marco na música Pop deste século.















26 | Night Visions
Imagine Dragons
2012

Uma grata surpresa tivemos em 2012 com este ótimo disco de Rock Alternativo, beirando ao Indie. O Rock em geral estava carente de grandes álbuns até chegar este que era a estreia do Imagine Dragons que não inovou tanto, mas conseguiram ser criativos naquilo que já existia no mercado e eles chamaram atenção de um público que ocasionalmente ouvem Rock.















25 | It Won't Be Soon Before Long
Maroon 5
2007

É o segundo disco do grupo que conseguiu se superar após uma ótima estreia no mercado musical. O álbum consiste numa musicalidade toda Pop Rock em todas suas faixas e conseguiu manter o público que escuta rock casualmente e atingiu novos fãs. Tenho grande apreço por este álbum que ouvi bastante, sobretudo canções como "Makes Me Wonder" e "Wake Up Call".















24 | Is This It
The Strokes
2001

Este é um dos grandes álbuns da década, chegando a ser Top 10 em listas especializadas e conhecida como um dos últimos grandes discos de Rock. O álbum é tido como estilo Indie Rock e os Strokes ganharam aclamação da crítica e atenção comercial. Is This It foi elogiado pelo seu carisma e ritmo, sendo várias vezes apontado como tendo referências das bandas de garage rock dos anos 70. O álbum foi e ainda é considerado como crucial na formação das outras bandas de música alternativa e da indústria musical do século XXI.















23 | By the Way
Red Hot Chili Peppers
2002

Com certeza foi um dos álbuns de Rock que mais tive a oportunidade de ouvir na vida. Gostava muito da banda desde o lançamento do álbum anterior e quando By the Way foi lançado conseguiu emplacar muito bem no mercado musical e atingiu um público que escutava muito pouco ou nada de Rock e que agradou neste álbum é a mistura de Rock com Funk, deixando algumas canções mais fortes e rítmicas. Foi bastante elogiado pela crítica que considera um dos grandes álbuns do Século.















22 | Confessions on a Dance Floor
Madonna
2005

Acredito que Madonna nunca teve uma fase ruim de sua carreira, isso por conta de seus álbuns que mesclam entre os que são excelentes, bons e poucos médios. O Confessions on a Dance Floor é daqueles de tirar o chapéu por ter sido bem ao estilo Madonna com muito Pop e Dance e nada de R&B com a finalidade de estar adequada ao que vendia mais neste ano. Foi um trabalho muito bem produzido e que teve supervisão da própria cantora.















21 | Oops!… I Did It Again
Britney Spears
2000

Considerada a Princesa do Pop, a cantora Britney Spears conseguiu provar muito bem este título com este álbum que foi um marco para mim por ter sido uma reaproximação do Pop com Britney e do Rock na época com Red Hot Chili Peppers, onde ambos apareciam com frequência em programas de videoclipes. Britney trouxe grandes hits deste álbum, e das doze faixas emplacou cinco hits, entre eles três mega hits. O álbum foi aclamado pelo público e a crítica considero o álbum bom, por incrível que pareça até porque no ano de 2000 este tipo de Pop era bem avaliado.



sábado, 16 de setembro de 2017

Isis Valverde estampa a capa da revista Joyce Pascowitch de setembro


Um dos grandes nomes da dramaturgia deste ano é Isis Valverde que nos presenteia com a personagem Ritinha em A Força do Querer, agora nos presenteia com um belo ensaio a revista Joyce Pascowitch de setembro.

Desta vez, a atriz mostra seu lado mais cabeça, contando sobre os 12 anos de aulas particulares de filosofia, a atual política do País, o medo da morte – tema central do filme Malasartes e o Duelo com a Morte, que está em cartaz – a chegada dos 30 e sobre o livro que deverá lançar. Inspirado por um lado mais cool e misterioso, a atriz foi fotografada por Maurício Nahas.








quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Grandes Discos Brasileiros | 'Virgem' - Marina Lima (1987)


Vamos voltar a falar de uma das minhas cantoras favoritas e acredito que de muitas pessoas que é Marina Lima que teve seu especial com o disco Fullgás, sendo a publicação mais vista até agora da série Grandes Discos Brasileiros.



O ano é 1984 e vamos destacar o disco Virgem que foi um dos grandes trabalhos de Marina Lima, tendo um ótimo resultado comercial atingindo a marca de 250 mil cópias vendidas, sendo então um dos discos mais vendidos de sua carreira e isso por conta do ótimo conjunto de música, hits e boa avaliação da crítica especializada.


Em uma entrevista, Marina Lima explica porque o nome do disco se chama Virgem:

“Escolhi ‘Virgem’ porque é um nome diferente e acho que combina comigo, mas virgem significa pra mim as minhas atitudes e é o meu signo (…) As coisas podem ser virgens para nós e nós para elas. Assim, só quem quer vê tudo como deja vú… O mundo é tedioso para quem o entedia e intrigante para quem o intriga. Em outras palavras: ‘Virgem’ é uma constelação de motivos e mistérios.


O disco possui 10 faixas e todas elas com uma característica bem romântica e o tom da sua voz deixa o disco apaixonante, viciante e com o gosto de quero mais ou "repeat all". A cantora mostrava neste trabalho uma maturidade artística, sabendo escolher bem seus parceiros para tocar junto contigo e para compor, porém grande parte das canções ela compôs e claro, algumas em parceria com seu irmão Antônio Cícero que é considerado um dos grandes compositores.


Marina Lima, 1987

A minha canção favorita e da própria Marina Lima é a faixa título "Virgem" que foi composta por ela e Antônio Cícero. Gosto muito da melodia desta canção que tem em seu contexto um romantismo singular. Na faixa Marina canta aventuras na Zona Sul da cidade do Rio de Janeiro, citando Leblon e Vidigal. A faixa foi um enorme sucesso nas emissoras cariocas e paulistas, sobretudo nas emissoras consideradas adultas. Havia uma dúvida sobre a existência do Hotel Marina citado na canção, mas de fato ele existe e aparece no clipe da canção "Uma Noite e 1/2".

Uma faixa de grande sucesso, talvez um dos cinco maiores sucesso da cantora Marina Lima foi a canção "Uma Noite e 1/2" que tem uma letra composta de forma espetacular por Renato Rocketh que era o baixista de Marina que além disso cantou junto com ela na faixa. Acredito que o tornou esta faixa um enorme sucesso foi porque a canção fala do Verão, uma das estações favoritas dos brasileiros e como o clipe foi gravado no Rio de Janeiro com transmissão do Fantástico acabou estourando nas emissoras cariocas. Veja abaixo o clipe da faixa:




Dou destaque a faixa "Prestes a Voar" que conheci no seu Acústico MTV. A letra é composta por Marina Lima e Antônio Cícero. A faixa tem uma melodia bem Rock N Roll e uma bela interpretação de Marina.

Marina Lima interpreta Cazuza no disco com a canção "Preciso Dizer Que te Amo" e confesso que na voz dela ficou melhor. A produção desta faixa ficou linda, refinada e perfeita. Gosto da melodia desta canção que vem de forma cálida para que a voz de Marina fique bem intensa para que cada palavra interpretada seja destacada. Destaque para a presença do saxofonista Leo Gandelman que também foi o produtor do disco.


Faixas

Faixa Título Compositor(es)



1 Pseudo-Blues Nico Rezende, Jorge Salomão
2 Zerando Marina Lima, Antônio Cícero
3 Preciso Dizer Que te Amo Dé, Cazuza, Bebel Gilberto
4 Hearts Jesse Barish
5 Prestes a Voar Marina Lima, Antônio Cícero
6 Virgem Marina Lima, Antônio Cícero
7 Uma Noite e 1/2 Renato Rocketh
8 Confessional Marina Lima
9 Doce Espera Marina Lima
10 1° de abril (Eu negar?) Marina Lima



Ouça o Disco

Não encontrei o link no YouTube com o disco completo, mas você pode conferir o trabalho completo no Spotify. Abaixo o vídeo com a faixa "Virgem".




quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Rock in Rio 2017 | Confira a Programação (Line-up) das atrações do Palco Mundo e Sunset



Está para começar mais uma edição do Rock in Rio que agora terá um novo endereço para abrigar a Cidade do Rock que será no Parque Olímpico, na Zona Oeste do Rio.

Os shows do festival vão acontecer nos dias 15, 16, 17, 21, 22, 23 e 24 de setembro, ou seja igual nas outras edições onde teremos três dias seguidos e na semana seguinte quatro dias seguidos do festival.

Nesse ano a programação ou Line-up estará repleto de grandes atrações, muitas delas virão pela primeira vez no Festival e reunirá um grande público por conta destes artistas como Lady GaGa, Pet Shop Boys e The Who que ainda não se apresentaram no Festival. Atrações carimbadas como Metallica, Iron Maiden e Elton John ficarão de fora, até para descansar a imagem perante ao festival e creio que logo mais estarão de volta. 

As atrações brasileiras teremos presenças de artistas carimbados do festival como Capital Inicial, Jota Quest e Skank.

Confira abaixo a  Programação (Line-up) das atrações do Rock in Rio 2017, destacando apenas o Palco Mundo e Sunset que serão transmitidos pela Multishow.



Sexta-feira, 15 de setembro

 
Palco Mundo

19h: Ivete Sangalo
21h: Pet Shop Boys
22h35: 5 Seconds of Summer
0h25: Lady Gaga *
* (Lady Gaga por problemas de saúde será substituída pelo Maroon 5
 
Palco Sunset

15h05: SG lewis
16h30: Céu convida Boogarins
18h: Fernanda Abreu convida Focus Cia. de Dança & Dream Team do Passinho
20h: Salve o Samba!



Sábado, 16 de setembro


Palco Mundo

19h: Skank
21h: Shawn Mendes
22h35: Fergie
0h25: Maroon 5

Palco Sunset

15h05: Homenagem João Donato com Lucy Alves, Emanuelle Araújo, Tiê e Mariana Aydar
16h30: Blitz convida Alice Caymmi e Davi Moraes
18h: Charles Bradley & His Extraordinaires
20h: Miguel convida Emicida



Domingo, 17 de setembro


Palco Mundo

19h: Frejat
21h: Walk the Moon
22h35: Alicia Keys
0h25: Justin Timberlake
 
Palco Sunset

15h05: HMB & Virgul & Carlão
16h30: Johnny Hooker convida Liniker e Almério
18h: Maria Rita convida Melody Gardot
20h: Nile Rodgers & Chic


 Quinta-feira, 21 de setembro


Palco Mundo

19h: Scalene
21h: Fall Out Boy
22h35: Def Leppard
0h25: Aerosmith

Palco Sunset

15h05: Ana Cañas convida Hyldon
16h30: Tyler Bryant & The Shakedow
18h: The Kills
20h: Alice Cooper convida Arthur Brown



 Sexta-feira, 22 de setembro


Palco Mundo

19h: Jota Quest
21h: Alter Bridge
22h35: Tears For Fears
0h25: Bon Jovi

Palco Sunset

15h05: Sinara convida Mateus Aleluia
16h30: Baiana System convida Titica
18h: O Grande Encontro convida Banda de Pífanos Zé do Estado e o Grupo Grial de Dança
20h: Ney Matogrosso & Nação Zumbi



 Sábado, 23 de setembro


Palco Mundo

19h: Titãs
21h: Incubus
22h35: The Who
0h25: Guns N’ Roses
 
Palco Sunset

15h05: Quabales convida Margareth Menezes
16h30: Cidade Negra convida Digitaldubs & Maestro Spok
18h: Bomba Estéreo convida Karol Conka
20h: CeeLo Green convida IZA



 Domingo, 24 de setembro


Palco Mundo

19h: Capital Inicial
21h: The Offspring
22h35: Thirty Seconds to Mars
0h25: Red Hot Chili Peppers
 
Palco Sunset

15h05: Ego Kill Talent
16h30: Doctor Pheabes & Supla
18h: Republica
20h: Sepultura


terça-feira, 12 de setembro de 2017

Tatá Werneck é capa da Revista Cláudia de Setembro



A atriz e humorista Tatá Werneck que é uma das pessoas mais carismáticas das celebridades é capa da Revista Cláudia de Setembro. Logo na chamada tem a frase dela mesma dizendo "Meu nariz era barrado em capa de revista", mostrando seu bom humor.



segunda-feira, 11 de setembro de 2017

40º ao 31º Lugar | Os 100 Melhores Álbuns Internacionais do Século XXI



Chegamos a sétima parte dos 100 Melhores Álbuns Internacionais do Século XXI. Antes agradeço pelas visualizações das demais partes deste especial que mostra os álbuns que mais ouvimos e gostamos deste século. 

Nesta sétima parte vamos mostrar de artistas consagrados da música internacional como de grandes cantoras que deram seu recado nos primeiros anos deste século, assim como bandas de Rock e um famoso grupo de R&B.


Veja também as demais partes da série clicando na tag "100 Álbuns Internacionais".
 
 
















40 | Dangerously in Love
Beyoncé
2003

É o álbum de estreia da ex integrante do grupo  Destiny's Child que já demonstrava um talento bem diferenciado das demais integrantes. O álbum é espetacular e traz grandes clássicos, entre eles umas das cinco melhores canções deste século que é "Crazy in Love" que foi um grande eterno cartão postal do que seria o que é hoje uma das maiores cantoras do momento.















39 | Under My Skin
Avril Lavigne
2004

Uma das minhas cantoras favoritas e a grande favorita nos primeiros anos deste século, a jovem Avril Lavigne começou muito bem sua carreira e continuou com o mesmo peso de qualidade neste seu segundo álbum que apesar da crítica pegar um pouco pesado nas avaliações é de fato um bom álbum para se ouvir.















38 | 1989
Taylor Swift
2014

A cantora Taylor Swift é uma das maiores do momento e é uma das artistas que mais vendem discos no mercado. Gosto de boa parte de sua discografia, mas este é o que considero o melhor e ele é espetacular e traz Taylor numa versão bem mais Pop, mostrando que é uma cantora adaptável ao mercado.















37 | Elephant
The White Stripes
2003

Um dos mais álbuns mais elogiados foi este belíssimo trabalho da dupla The White Stripes que estava inspirados. É seu quarto disco e foi com ele que muitas pessoas passaram a conhecê-los. O Rock alternativo da dupla misturava ao punk e blues com uma produção bem refinada. A canção que se destacou foi "Seven Nation Army" com um dos refrões mais cantados deste século.















36 | Starboy
The Weeknd
2016

Este é um dos álbuns mais novos da lista, até porque nos últimos anos tivemos poucas surpresas e poucas inovações, mas este excelente álbum do The Weeknd foi um respiro na música mundial. O álbum quando foi produzido já foi planejado que era para impactar o mercado musical e para isso contou com um time grande de produtores como a dupla Daft Punk, Max Martin, entre outros que junto ao The Weeknd nos trouxeram essa obra prima dos últimos anos.















35 | Only By the Night
Kings of Leon
2008

O Rock é um estilo musical que vem sofrendo muito neste século e às vezes temos provas de que ainda ele está muito vivo como neste álbum que conseguiu ir muito bem nas paradas de sucessos e atingir boas vendas e conseguiu algo maior que é atingir um tipo de público que ocasionalmente ouve Rock e ficou muito popular entre os jovens. Além desta proeza comercial, o álbum teve uma boa avaliação da crítica. O hit "Use Somebody" foi um dos responsáveis pelo sucesso.















34 | Day & Age
The Killers
2008

Outro grande disco de Rock, mas este é indie com misturas alternativas que demonstram a característica deste século entre os discos Rock. Gosto muito deste álbum, mas o a crítica e parte dos fãs gostam ainda mais do álbum de estreia, mas este que destaco tem canções espetaculares e que já traz nostalgia como "Human" e "Spaceman".















33 | Monkey Business
The Black Eyed Peas
2005

Um dos álbuns mais vendidos deste século ganhou as graças do povo após assim quando lançaram o álbum anterior que foi magnífico. Monkey Business conseguiu emplacar muitos hits e o grupo participou de diversos programas para divulgar o trabalho e a turnê foi uma das mais rentáveis. O álbum trouxe a mesma essência Hip Hop misturando com R&B e música eletrônica e letras que fizeram muitos cantarem.















32 | Loud
Rihanna
2010

Considero este o melhor álbum de Rihanna, mas fica até difícil decidir porque a cantora teve um período de quatro grandes álbuns lançados e analisando faixa por faixa este se destaca por ter uma quantidade boa e equilibrada de hits, sem falar na produção musical que ficou um pouco acima que os demais. Das onze faixas deste álbum pelo menos sete foram singles, até porque Rihanna atravessava um momento fantástico da sua carreira.















31 | Hybrid Theory
Linkin Park
2000

Eu sei bem que o Século XXI começou em 2001, mas eu quis muito incluir trabalhos do ano de 2000 e não queria deixar Hybrid Theory de fora que é um trabalho espetacular do Linkin Park. Conheci este álbum anos depois por causa do álbum seguinte a este e qualidade de ambos é espetacular. O hit "In The End" é um dos marcos deste século.




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...